fbpx

A motivação é uma treta!

Consegui chamar a sua atenção com este título? Se está a ler estas palavras significa que sim. Será mesmo a motivação uma treta? A minha reposta é:

Mais ou menos… Desiludido? Calma… Continue a ler.

A motivação pode ser sim uma treta, vou explicar porquê: 

Imagine que está a ler a biografia de uma pessoa muito inspiradora que conquistou o mundo, escreveu um bestseller, ganhou um óscar de melhor ator e descobriu as curas para várias doenças, tudo isto enquanto criava dez empresas multimilionárias.

Quando chega ao fim do livro sente-se inspirado, sente que agora já tem motivação para meter em prática aquele sonho antigo de ter o seu próprio negócio, aprender a tocar saxofone ou algo que sempre quis fazer mas sempre arranjou desculpas para não começar.

A motivação inconstante.

Agora que ganhou motivação, é até provável que comece a tomar ações para realizar um desses empreendimentos (ações verdadeiras no mundo real e não na sua imaginação), o que poderia ser ótimo, porque qualquer objetivo que queira realizar tem que ter um começo.

Poderia ser ótimo, mas não é! A maior parte das vezes essa motivação pode fazer com que comece a fazer um plano de negócios, ou que tenha algumas aulas de guitarra.

No entanto, existe algo que vai estragar completamente os seus planos. Uma coisa terrível que destrói os sonhos das pessoas bem intencionadas que começam a tomar ações para mudar as suas vidas.

O longo prazo.

Quando fica subitamente motivado para realizar ações de maneira a atingir um objetivo, a sensação é maravilhosa. Sente que agora é de vez! Vai finalmente realizar uma das suas metas mais importantes.

Mas à medida que o tempo vai passando, começa a esmorecer. A motivação inicial começa a dissipar-se, e aquilo que era necessário fazer a longo prazo para atingir as suas metas nunca chega a ser feito, tornando o seu esforço inicial desnecessário.

Para que tal não aconteça e para que consiga levar um plano até ao fim, existe uma aptidão que qualquer pessoa pode desenvolver, e que tem de usar a seu favor para agir consistentemente a longo prazo.

Se conseguir fazer essa aptidão trabalhar juntamente com o longo prazo, vai adquirir um atributo que é praticamente um super poder nos dias que correm e que lhe vai permitir atingir QUALQUER OBJETIVO que queira.

A autodisciplina.

Ao contrário do que muita gente pensa, a autodisciplina não é genética, não havendo nada a fazer caso se veja a si mesmo como alguém sem disciplina nenhuma.

Antes de eu lhe explicar como é que pode desenvolver a sua autodisciplina, convém esclarecer qual a principal diferença entre autodisciplina e motivação. A principal diferença é que:

A motivação vem de fora.

A autodisciplina vem de dentro.

Algumas pessoas só conseguem agir se se sentirem motivadas para tal. Essas pessoas, na melhor das hipóteses, podem ter alguma estratégia para se motivar, como por exemplo ver um clip motivacional na Internet ou ligar a um amigo a pedir apoio.

Essas estratégias podem resultar algumas vezes, mas esgotam-se rapidamente sendo necessário arranjar outras que as substituam e fazem sempre com que quem as use esteja dependente de estímulos externos para agir. 

Estímulos esses que podem não estar disponíveis sempre que são necessários.

A autodisciplina, em vez disso, faz com que esteja habituado a agir fazendo aquilo que tem a fazer, quer lhe apeteça ou não.

Como desenvolver autodisciplina com pequenos passos.

A autodisciplina é nada mais do que estar habituado a realizar uma determinada ação, quer haja motivação para isso ou não. Para desenvolver a sua autodisciplina, o primeiro passo é ter um plano de ação.

Tem de saber de antemão aquilo que precisa fazer, quando o vai fazer e como o vai fazer.

A seguir, tem de começar gradualmente com tarefas que tenha a certeza que vai conseguir realizar, ou seja, que não o façam sentir-se sobrecarregado

Quando essas tarefas se tornarem parte da sua vida, estando incorporadas nas suas rotinas, é altura de aumentar a intensidade e/ou a frequência das mesmas. Desenvolver autodisciplina é tão simples quanto isto.

A motivação é boa para o pôr em movimento, para o fazer sair de um estado de inatividade e para realizar ações fora da sua zona de conforto. Para começar um novo empreendimento, é preciso motivação sim.

Para se manter no caminho de forma consistente, por um longo período de tempo, até atingir as suas metas, lutando mesmo nos dias em que não sente vontade de o fazer, só existe uma aptidão a desenvolver, a autodisciplina.

Pergunta: Qual a sua estratégia para fazer o que tem a fazer, mesmo quando não sente vontade?

Deixe um comentário