fbpx

Como acabar com os maus hábitos e recuperar o controlo

Porque é que nós seres humanos, dotados de uma inteligência superior a qualquer espécie existente a face da Terra, não conseguimos parar de repetir maus hábitos, mesmo tendo plena consciência do quanto nos prejudicam?

Eliminar comportamentos, manias e práticas que não nos beneficiam é o tema deste artigo. O seu bem-estar psicológico e a sua saúde estão diretamente relacionados com o seu autocontrolo.

Se conseguir aplicar as estratégias que vai aprender neste artigo e conquistar nem que seja mais um pouco de domínio sobre as suas ações, tal pode causar um efeito em cadeia e consequentemente, um grande impacto na qualidade do seu bem-estar.

Os seus hábitos diários definem o seu destino.

Conhece a famosa frase “diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és”? Inventei uma muito parecida que é a seguinte:

“Mostra-me os teus hábitos, dir-te-ei quem serás”.

As suas rotinas diárias são uma previsão do seu destino, pode ter hábitos muito produtivos e ter uns quantos negativos e ainda assim, ser capaz de alcançar grande parte dos seus objetivos ao longo da sua vida.

Não precisa de ser um mestre do autocontrolo e eliminar todos os hábitos que não o favorecem, precisa sim de eliminar os que se tornam em verdadeiros obstáculos no seu caminho.

O primeiro passo, é saber identificar o que é um mau hábito. Partindo do pressuposto de que se trata de um hábito, podemos afirmar que é um comportamento rotineiro, algo que repetimos sem tomarmos a decisão consciente de o fazer.

E o que o torna mau? Quando esse comportamento nos prejudica a nós ou aos nossos objetivos.

Porque repetimos comportamentos que não queremos ter.

A repetição de um comportamento, mesmo que nos seja prejudicial, acontece ou porque nos traz prazer ou porque afasta a dor.

Em qualquer um dos casos, mantemos os maus hábitos devido à gratificação imediata que obtemos. A capacidade de adiar a gratificação tem sido sempre atribuída ao desenvolvimento da personalidade e da maturidade dos indivíduos.

Abdicar das recompensas de curto prazo em detrimento das de longo, é uma das habilidades mais importantes que deve desenvolver se quer ser bem-sucedido em algo que valha realmente a pena.

4 estratégias para eliminar maus hábitos.

Se tem sabotado os seus resultados por causa de algum comportamento estúpido e inútil, tente uma das seguintes estratégias:

1 – Substituir um hábito por outro que traga a mesma compensação, embora mais produtivo e saudável.

Já pensou que a gratificação que obtém através de um hábito prejudicial pode ser obtida de forma menos nociva?

É verdade! Para muitos padrões de comportamento existem outros diferentes, com os quais consegue as mesmas recompensas emocionais, mas sem o afetarem de maneira negativa.

Após identificar um mau hábito, procure alguma coisa que possa ser feita em sua substituição e com menos consequências.

2 – Fazer o desafio de ficar uma semana sem repetir esse hábito.

Pensar em desistir de um vício para sempre pode parecer uma tarefa monumental. Uma forma de enganar a sua mente, é planear a eliminação de um hábito durante apenas uma semana.

Desafiar-se a si mesmo a não repetir um hábito durante um curto espaço de tempo poderá ser um desafio estimulante, como ainda poderá ser fácil de pôr em prática.

No final da semana em que abdicou da gratificação imediata do seu mau hábito, pode voltar ao mesmo sem sentimentos de culpa. Contudo se sentir que é adequado, porque não prolongar o desafio por mais uma semana?

3 – Chegar à realização de que se continuar a fazer o que tem feito, jamais chegará a algum lado.

Chegar ao entendimento de que se continuar com os mesmos hábitos para sempre, jamais conseguirá realizar mudanças significativas na sua vida, requer um esforço consciente da sua parte.

Tire uma hora ou até mesmo um dia inteiro e visualize detalhadamente a sua vida daqui a 10 anos se mantiver os maus hábitos do presente. Veja tudo aquilo que perdeu, tudo o que poderia ter sido se tivesse mudado as suas rotinas.

4 – Fazer com que a repetição do mau hábito seja mais dolorosa do que a sua privação.

Forçar-se conscientemente a não repetir um comportamento que está enraizado na sua mente pode causar-lhe grande desconforto. Escolha ser astuto, e crie circunstâncias em que a repetição do mau hábito lhe causa mais dor do que a que sente quando se força a não o fazer.

Uma forma eficaz de criar uma dessas circunstâncias é combinar com um amigo ou um familiar, preferencialmente alguém que esteja na sua presença com frequência, consequências negativas se repetir o comportamento que deseja eliminar.

As consequências que terá de suportar, caso repita o comportamento, têm de lhe causar mais desconforto e ansiedade do que a que sente por não o repetir.

Um exemplo é deixar na posse de alguém da sua confiança, uma quantidade de dinheiro significativa para si, que esta pessoa deverá guardar durante um período de tempo preestabelecido, após o qual lhe será devolvida apenas na condição de não ter repetido o comportamento que deseja eliminar.

Conclusão.

Às vezes, somos nós próprios o único obstáculo entre o lugar onde estamos e aquele onde queremos chegar. Se não conseguir eliminar os seus maus hábitos à primeira tentativa não desanime, pode e deve voltar a tentar as vezes que quiser.

Perder uma batalha não significa perder a guerra.

Pergunta: Que estratégia já utilizou para eliminar um mau hábito?

Deixe um comentário