fbpx

Já reparou que o mundo o quer distrair?

Já reparou que o mundo inteiro o quer distrair? Existe uma abundância de distrações à sua volta, cujo objetivo é recompensá-lo com entretenimento e gratificação imediata.  

As distrações vão desde os feeds das redes sociais, até aqueles seus amigos que parecem ter tempo livre a qualquer hora do dia e nunca nada de interessante para fazer que não o inclua. 

O mundo à sua volta está a distraí-lo. Se não está, certamente que está a tentar.   

As consequências de um mundo de distrações. 

Estar constantemente distraído traz consigo várias consequências. A pior de todas, é nunca pensar nas suas prioridades, ou mesmo que pense nelas, nunca agir realmente como deveria. 

Quando se consegue libertar das distrações à sua volta, abre espaço para a criatividade e para o surgimento de novas ideias. O vazio nas nossas mentes tem a particularidade de ampliar os nossos horizontes. 

Só que infelizmente, estamos habituados e deixar a nossa atenção ser comandada por tudo aquilo que se intromete nas nossas vidas. Parece quase falta de educação fazer recusas e reclamar o tempo que nos pertence

Porque o vazio é importante. 

O vazio tem uma conotação negativa na sociedade. Estar vazio é o equivalente a estar depressivo, ter a cabeça vazia é sinónimo de estupidez, e quando alguma coisa é vazia, significa que tem algo em falta. 

Acredito que passar um dia inteiro sozinho, de vez em quando, permite-nos ouvir com mais atenção aquilo que se passa nas nossas cabeças.  

Ironicamente, é quase sempre contraprodutivo fazer um esforço para raciocinar com o objetivo de estimular a criatividade. É muito mais eficaz dar um passeio a pé, sem auscultadores e sem smartphone. Experimente e veja se não lhe aclara as ideias.

Para estar sozinho tem de gostar de si mesmo. 

Dizem que para alguém gostar de nós, temos de gostar de nós próprios. Subscrevo, e defendo ainda que para estarmos sozinhos, temos de gostar da nossa própria companhia, sem a necessidade de estarmos constantemente distraídos com alguma coisa. 

Solidão é sinónimo de sofrimento. No entanto, existe uma palavra em português para alguém que está sozinho, mas que se sente bem com isso. A palavra é “solitude”, igual à palavra em inglês solitude mas que significa solidão. 

A solitude, em português, é característica de quem gosta da sua própria companhia e é capaz de passar sozinho por períodos de introspeção. Mas tal não significa que não goste do contacto com outras pessoas. 

Pode ter uma vida social muito ativa, e mesmo assim, ter a capacidade de desfrutar de solitude.  

Estar distraído pelo mundo leva a uma dormência de objetivos. 

Um mundo de distrações abundantes causa um ruido mental que nos confunde as ideias, e que não nos permite pensar naquilo que realmente desejamos.  

As nossas introspeções são invadidas com pensamentos do último humorista que vimos no Youtube, ou pela necessidade de verificarmos mais uma vez o nosso número de seguidores do Instagram

Na tentativa de aproveitarmos as gratificações imediatas, deixamos as nossas vidas tornarem-se dormentes e desprovidas de propósito. 

Experienciar o vazio para voltar com mais clareza. 

Experimente passar tempo sozinho. Principalmente se for alguém autodidata, como um artista ou um empreendedor. Umas duas ou três horas passadas a visitar um museu ou sentado à beira-mar são suficientes. 

Fazer isto uma vez por mês é tudo aquilo que precisa para voltar com mais clareza, imaginação e uma energia renovada. 

O mundo à sua volta quer distraí-lo, e deixar-se distrair de vez em quando não tem qualquer problema. Mas lembre-se sempre de desfrutar de um pouco de solitude de vez em quando para recuperar a sua clareza de ideias.

Deixe um comentário