Quando colocamos as nossas vidas em espera

Desde o primeiro dia em que criei este blog que o fiz com o objetivo de servir como ferramenta para todas as pessoas que precisam de recursos, conhecimentos e até inspiração para alcançarem as suas metas.

Após ter escrito quase 50 artigos neste espaço, apercebo-me que existe um tema acerca do qual pouco ou nada falei, e de que já está mais do que na altura de lhe dedicar um artigo completo.

O presente.

Este tema não vem por acaso. Há uns dias, enquanto caminhava resolutamente para cumprir um compromisso qualquer, surgiu um pensamento na minha mente que acho que nunca me tinha ocorrido:

“A minha vida está em standby.”

O que significa que todas as minhas ações no presente, a gestão do meu tempo e a forma como a minha vida está organizada, servem para preparar um futuro. O melhor futuro possível.

Tudo o que é considerado diversão, lazer e atividades recreativas foi colocado em espera na minha vida.

Em 2016, escrevi um artigo para o empreendedor.com chamado “Quer ser fenomenal? Esqueça o equilíbrio!” no qual mencionei que empreendedores como o Mark Zuckerberg e o Elon Musk não chegaram onde estão mantendo uma vida equilibrada.

E não existe nada de errado com isso!

A minha opinião mantém-se, ainda acredito que é impossível atingir um patamar de classe mundial, sem fazer sacrifícios gigantescos. Contudo, cabe a cada pessoa decidir se está disposta a pagar o preço, abdicando das gratificações imediatas de que a grande maioria das pessoas se recusa a abdicar.

Às vezes pode não valer a pena.

Avalie você mesmo se vale a pena abdicar das atividades recreativas que lhe dão prazer no presente.    

Para fazer essa avaliação, basta perguntar-se a si mesmo se o seu trabalho pode ser a sua única recompensa a longo prazo. Se a resposta for sim, provavelmente aquilo que aos olhos de outras pessoas parece um trabalho, para si é um propósito.

Recentemente, num artigo sobre a gestão do tempo, abordei a importância de tirar um dia de folga todas as semanas de maneira a recarregarmos as nossas baterias. Esse dia de folga serve para nos mantermos empenhados nas nossas metas a longo prazo, sem atingirmos o burnout.

O presente é e sempre será o tempo mais importante das nossas vidas.

Todas as decisões são tomadas no presente. Se queremos ter alguma influência no nosso futuro, fazemo-lo agindo no presente. Adiar a gratificação imediata é uma das capacidades mais importantes para quem quer ter uma vida com mais qualidade no futuro.

Se souber gerir o seu dinheiro e não o gastar todo, terá mais no futuro. Se fizer uma alimentação saudável que não lhe dá tanto prazer como comer fast food, está a contribuir para se sentir melhor no futuro (e muitas vezes também no presente).

Mas o presente é também o momento em que podemos aproveitar o melhor que a vida tem para nos oferecer. Colocarmos a nossa vida em espera pode fazer com que nos arrependamos futuramente.

Só que o oposto também é verdade.

Como não precisa de escolher entre o 8 e o 80, pode sempre optar por um meio-termo, ou então ter períodos em que favorece o seu trabalho e outros em que favorece o lazer e a sua vida pessoal.

Num artigo no site da Forbes, foi feita menção a um estudo onde foi possível apurar que quem tem uma propensão para se dedicar arduamente ao trabalho, tem a mesma propensão para o fazer nos seus hobbies.

Neste momento, encontro-me prestes a ir de férias. Vou viajar e tenho tudo preparado de maneira a poder continuar a trabalhar no local onde vou estar. Durante as manhãs estarei focado a produzir conteúdos, enquanto as tardes serão passadas com a minha família.   

Pensei bastante no pensamento que a minha mente decidiu atirar-me. Considerei até a hipótese de incluir mais tempos de diversão nas minhas semanas, independentemente de estar de férias ou não.

Só que a verdade, é que apesar de ter colocado a minha vida em espera de modo a favorecer o meu trabalho, é também verdade que o meu trabalho traz significado à minha vida.

Pergunta: alguma vez colocou a sua vida em espera?

Deixe um comentário