Como desenvolver autodisciplina e criar novos hábitos

A autodisciplina, como o nome indica é a disciplina mantida por si próprio, ou como costumo dizer, a capacidade de se pôr a fazer aquilo que tem a fazer, quer lhe apeteça ou não.

Para conseguir desenvolver essa habilidade, a primeira coisa a entender, é que nós humanos somos criaturas de hábitos.

Temos sensivelmente 60.000 pensamentos por dia, e a grande maioria são os mesmos que tivemos no dia anterior, o que contribui grandemente para os nossos hábitos e rotinas terem tendência a manterem-se, a não ser que façamos alguma coisa para os alterar.

Se queremos criar um novo hábito ou uma nova rotina, precisamos de executar as ações que pretendemos até estas se terem tornado naturais, ou seja, até termos desenvolvido autodisciplina.

No entanto, antes de lhe explicar como é que a podemos desenvolver, existe ainda outra coisa que é fundamental entender.

A autodisciplina não é uma habilidade que se desenvolve uma vez e que fica guardada numa gaveta no cérebro, pronta a usar quando lhe apetece.

Se vai começar a desenvolver a sua autodisciplina tem de o fazer de forma regular, o ideal seria diariamente, ou de dois em dois dias. Embora possa ser desenvolvida de forma gradual, tem que o fazer de forma consistente.

A melhor técnica que conheço e que uso pessoalmente sempre que necessário, consiste nos seguintes passos:

1- Definir com precisão o que quer fazer.

Se quer desenvolver autodisciplina tem de saber para que é que precisa dela. Seja arrumar a casa, tocar um instrumento, ler, estudar, ir ao ginásio ou qualquer outra coisa que queira fazer mas não está a conseguir, o importante é saber o que é que quer.

Embora pareça básico, muitas pessoas dizem que querem ter mais autodisciplina mas não sabem ao certo o que é que querem fazer com ela, ou na melhor das hipóteses, dão respostas demasiado abstratas como por exemplo “quero ter autodisciplina para ser mais produtivo”. 

Assim será muito difícil! É imprescindível ser o mais específico possível em relação ao que quer.

2- Saber quando é que o vai fazer.

Se não planear com antecedência qual é a ação que precisa de executar, alguma coisa se vai atravessar no caminho, vai acabar por deixar passar a altura que achava ser a melhor e vai continuar a dar-se desculpas a si mesmo como “surgiu um imprevisto de repente” ou “ainda não tive tempo”.

3- Saber por quanto tempo vai realizar a ação pretendida.

E é aqui que a magia acontece! Se não tem autodisciplina deve começar por estabelecer miniobjetivos.

Os miniobjetivos são metas realistas tendo em conta a sua situação em particular. Não devem causar demasiado desconforto e deve ter a certeza absoluta que as consegue realizar.

Para exemplificar, imaginemos que quer ter mais autodisciplina para utilizar 1 hora de dois em dois dias para arrumar a casa.

Começar com 1 hora poderá ser demasiado. Até o simples pensamento de ter de arrumar a casa durante 1 hora de dois em dois dias pode causar uma ansiedade insuportável, fazendo com que nem sequer comece.

A solução? Começar por definir um período de tempo durante o qual tenha a certeza absoluta que consegue executar a tarefa pretendida, podem ser 20 minutos, 10 minutos ou até mesmo 5 minutos de dois em dois dias, o importante é que durante esse período execute a tarefa e não faça rigorosamente mais nada.

Atenção! A ideia não é concluir a tarefa, pois dificilmente faria o trabalho de uma hora em 5 ou 10 minutos, a ideia é condicionar-se a executar a ação que pretende durante um determinado período de tempo, por mais pequeno que este seja, para quando já estiver habituado aumentar o grau de dificuldade, o que neste caso significa realizar a tarefa por mais tempo.

Se usar esta técnica de estabelecer miniobjetivos e aumentar progressivamente o tempo durante o qual executa a tarefa, aos poucos, chegará ao período de tempo pretendido.

Como já deve ter percebido, a consistência é absolutamente fundamental para ser bem-sucedido com esta técnica, para além do tempo defina também quantos dias por semana vai executar a ação em questão e tenha sempre o cuidado de começar calmamente.

Como é que faz para saber que já desenvolveu autodisciplina? Quando a tarefa que realiza se torna parte integrante da sua vida.

Embora desenvolver autodisciplina seja importante, por vezes acontecem situações totalmente fora do nosso controlo e que podem prejudicar os hábitos e as rotinas construtivas que desenvolvemos. 

Quando tal acontecer, lembre-se de que é normal e de que essas situações fazem parte da vida e volte a fazer tudo de novo progressivamente, até voltar ao ponto onde se encontrava.

Dica final: Se ainda assim encontra dificuldades lembre-se desta citação de Jim Rohn:

“Todos vamos sofrer uma de duas dores. A dor da disciplina ou a dor do arrependimento. A diferença entre as duas é que a dor da disciplina pesa gramas, enquanto que a dor do arrependimento pesa toneladas.”

Pergunta: O que mais o ajudou a desenvolver autodisciplina até hoje?

Deixe um comentário