fbpx

Ignore toda a gente acima dos 27 anos

Inicialmente, pensei em escrever este artigo para as camadas mais jovens, mas a verdade é que a sua idade não importa. O que importa, é que ainda não se tenha transformado num zombie. O que acontece normalmente entre os 27 e os 30 anos.

Se ainda acha possível realizar alguns dos seus sonhos, e acredita que os concretizar depende principalmente das suas ações, então pode respirar de alívio. Ainda não se juntou ao grupo dos mortos vivos.

Se pelo contrário, não consegue recordar-se da última vez que imaginou uma vida planeada à sua maneira, resultado do seu trabalho e empenho, tenho duas notícias para lhe dar. Uma boa e outra má.

A má, é que só lhe falta a maquilhagem para entrar num episódio do “The Walking Dead”.

A boa, é que este artigo pode ser a sua cura.

Como as pessoas se transformam em zombies.

Algures entre os 27 e os 30 anos, acontece uma transformação com a maioria das pessoas, que consiste em deixarem de acreditar que tudo aquilo que sempre desejaram poderá tornar-se realidade.

Quando essa transformação acontece, inicia-se o processo a que chamo “a vida impassível”.

A vida impassível consiste em viver cada dia igual ao anterior, repetir os mesmos hábitos, as mesmas rotinas, os longos ciclos de procrastinação e uma quase dormência de emoções, vivendo sem qualquer significado ou propósito.

Quem vive uma vida impassível nunca toma ações, apenas reage. Deixa os dias passar sem fazer nada que o possa ajudar a construir um futuro, nem pensa sequer num futuro. Nunca lhe ocorre que é um ser humano e que tem um prazo de validade, ou seja, que um dia vai morrer.

Quando isto acontece, é quase como se já tivesse mesmo morrido, mas sem o estar verdadeiramente. Por outras palavras, passou a ser um morto vivo.

A ideia de um mundo de facilitismo.

Dizem sempre às crianças que podem ser o que quiserem quando forem grandes, e é verdade, podem mesmo. O que nunca ninguém lhes diz, é que vão ter de trabalhar muito para o conseguir.

O que as leva a acreditar que só têm de esperar até ficarem maiores. Que assim que forem adultas, serão automaticamente aquilo que sonham ser.

Os zombies não querem estar sozinhos.

Se falar dos seus sonhos a alguém que já se tornou num zombie, a sua reação será tentar transformá-lo em um também. Vai tentar fazê-lo argumentando que ninguém atinge os seus objetivos sem circunstâncias externas favoráveis.

Que o fator sorte é decisivo e qualquer esforço da sua parte poderá ser em vão. Mas o esforço nunca é em vão.

Os imunes rebeldes.

Voltando aos zombies, felizmente existem muitas pessoas que lhes são imunes.

Algumas dessas pessoas estão a descobrir os seus próprios caminhos, outras já alcançaram várias metas. Ainda assim, não importa a fase em que se encontram, simplesmente não se deixam contagiar pelo vírus da vida impassível.

É importante que você também não se deixe contagiar. Há relativamente pouco tempo, publiquei um comentário no meu Facebook que me valeu reações bastante interessantes. O comentário é o seguinte:

“Hoje enquanto escrevia o próximo artigo do blog, ocorreu-me que a maior parte das pessoas quando chegam aos 29 anos e veem que nada daquilo com que sonharam ao longo da vida se concretizou, percebem de repente que as coisas não vão melhorar a não ser que façam por isso”.

Quando este momento chega, existem duas opções. Meter mãos à obra e criar algo propositadamente, ou deixar-se engolir pelo dia a dia sem reclamar o tempo que lhe pertence, e dar ouvidos aos zombies que temem os seus sonhos.

A cura para os zombies.

Se por mero acaso algum zombie estiver a ler este artigo e mesmo assim chegou até esta parte do texto, significa que ainda pode reverter o processo. Para isso só precisa de fazer duas coisas.

1. Assumir a responsabilidade pela sua vida.

2. Ignorar toda a gente acima dos 27 anos, qualquer que seja a sua idade.

Gostou deste artigo? Quais são os seus filmes de zombies preferidos? Os meus são 28 Days Later, Train to busan e The Girl with All the Gifts.

Deixe um comentário