“Está a chover”.
“Estamos em crise”.
“Estou constipado”.
“Quando tiver mais tempo”.
“Tenho que ler mais livros primeiro”.
“Não tenho dinheiro”.

Se é o dos que espera por circunstâncias favoráveis para fazer alguma coisa, nunca vai realizar nada na sua vida. Mesmo que estas joguem a seu favor um dia, assim que a sorte acabar e começarem a surgir as dificuldades, desistirá imediatamente.

Com ou sem circunstâncias favoráveis, pode fazer o seguinte:

– Dar o seu melhor, e trabalhar com os recursos que tem no momento.

– Dar o seu melhor, e trabalhar até criar você mesmo as circunstâncias em que gostaria de se encontrar.

-Tentar algo de novo.
-Lidar com a incerteza.
-Dar a cara.
-Lidar com a rejeição.
-Falhar.
-Recomeçar depois de um fracasso.

O medo pode protegê-lo, pode deixá-lo confortável e em segurança, evitando expor-se à novidade e a ter de lidar com a ansiedade de adaptação.

Todavia, se escolher a segurança de nunca tentar nada de novo, existe ainda outra coisa de que o medo o vai proteger, que é de tudo aquilo que sempre desejou.

Pode ter todo o sucesso que desejar, mas não sem primeiro fazer os sacrifícios necessários.

Sonhar é importante, tudo começa com uma visão. Quando essa visão se torna bem clara, chega a altura de agir.

Apenas as nossas ações podem materializar os nossos sonhos.

“Fazer” é o segredo para tornar a sua visão numa realidade. Mesmo que ainda não saiba tudo, siga em frente.

À medida que age, descobre novas perspetivas.

Através das ações consegue o melhor feedback e os conhecimentos que lhe faltam para realizar o que deseja.

O que foi considerado seguro antigamente já não é hoje em dia, tal como o que é considerado seguro hoje deixará de o ser amanhã.

O seu passado não define o seu futuro.

 

Os seus erros foram aprendizagens.

 

Se está a ler isto, possui o único requisito necessário para criar mudanças, estar vivo.

Três regras para concretizar um objetivo:

1 – Defini-lo com precisão.

Quanto mais delineado for o objetivo, mais fácil se torna descobrir os passos para o concretizar.

2 – Saber o seu “porquê”.

Durante o percurso, poderá perder a motivação algumas vezes. Lembrar-se do seu “porquê” vai mantê-lo focado.

3 – Ter a certeza de que o objetivo é realmente seu.

A sua família e os seus amigos podem pensar que sabem o que é melhor para si. Mas a verdade, é que existe apenas uma pessoa no mundo inteiro que pode ter a certeza daquilo que você quer. Você sabe quem essa pessoa é.

As metas mais difíceis de atingir são também as que mais merecem a pena.

Quando o caminho se tornar difícil e pensar em desistir dos seus sonhos, lembre-se desta frase.

Existe uma desculpa que fará com que os seus sonhos permaneçam uma miragem.

Essa desculpa é:

“Estou à espera da melhor altura para começar”.

A altura certa simplesmente não existe. As circunstâncias serão sempre desfavoráveis.

Qualquer que seja a altura em que decida começar algo, terá de ter criatividade e perseverança para criar o resultado que deseja.

Faça desta frase o seu mantra:

“Que se danem as circunstâncias, eu crio oportunidades!”

Para todos os que estão num processo criativo, quer seja a pintar um quadro ou a criar um negócio.

Vivemos num mundo com infinitas possibilidades, e ainda assim, muitas pessoas agem como autômatos.

Mantêm os mesmos hábitos, os mesmos comportamentos e a mesma zona de conforto, durante quase toda a vida.

Qualquer que seja a sua idade, se está a ler isto ainda vai a tempo de inovar. Só tem de identificar as ações que pratica diariamente que nada acrescentam à sua vida, e as que quer implementar em substituição dessas.

As suas decisões de hoje podem definir o dia de amanhã.

Quem vai atrás dos seus sonhos, mesmo sem ajuda, sem circunstâncias de vida desejáveis e sem esperar por conjunturas económicas favoráveis, pode atingir o topo da realização na vida.

Eventualmente, poderá ter de trabalhar para sobreviver enquanto dá o seu melhor noutro trabalho que será a sua missão de vida, e as recompensas podem demorar a chegar.

No entanto, se for persistente, haverá um dia em que toda a determinação será recompensada. Quando esse dia chegar, poderá viver o seu propósito, e jamais terá de trabalhar um único dia.

Mais vale ir sozinho na direção certa do que seguir o rebanho na direção errada. O caminho impensável para algumas pessoas é o mais gratificante para outras.

 

Se escolher ir sozinho, alguns mentores vão aparecer ao longo do caminho e vão acompanhá-lo durante algum tempo, mas raramente o caminho todo.

 

Independentemente de caminhar acompanhado ou não, certifique-se de que é mesmo o caminho que escolheu e não o caminho que os outros lhe querem impor. A sua meta não tem de ser a mesma que a deles.

Há duas coisas que as pessoas muito bem-sucedidas referem frequentemente:

A primeira, é que quando começaram, embora imaginassem que chegar onde queriam fosse difícil, não imaginavam que o fosse assim tanto.

A segunda, é que demoraram muito mais tempo a lá chegar do que pensavam que demorariam.

No entanto, sempre que lhes é perguntado:

– O sacrifício valeu a pena?

A reposta é sempre:

– Absolutamente!

As perguntas podem ajudá-lo a ganhar clareza e a descobrir os recursos dentro de si. Fazendo as perguntas certas, as repostas certas também aparecem, e muitas vezes, vêm acompanhadas do estado emocional necessário para começar a agir.

Faça-se as seguintes perguntas a si mesmo:

– Que recursos disponho, tanto internos quanto externos, para alcançar esta meta?

– Das minhas experiências passadas, quais é que me podem ajudar a atingir este objetivo?

– Se amanhã quando acordasse, a vida fosse exatamente como quero que seja, como é que seria?

– Quanto tempo mais darei a mim mesmo para permanecer aqui, enquanto quero outra coisa? 1 ano? 10 anos? O resto da vida?

Quando entrar num ciclo de procrastinação, pense onde quer estar daqui a 5 anos e lembre-se desta frase de Jim Rohn:

“Todos sofreremos uma de duas dores, a dor da autodisciplina ou a dor do arrependimento. A diferença, é que a dor do arrependimento é 1 milhão de vezes pior”.

Todas as pessoas vivem com um conjunto de valores. Algumas têm consciência disso, outras não.

Quando traçam objetivos alinhados com os seus valores, é quando têm mais motivação, mais energia e mais criatividade para os atingir.

Quando os objetivos não estão alinhados com os seus valores, perdem rapidamente a vontade e desistem sem sequer chegarem a meio do caminho.

Sempre que estipular uma nova meta, pergunte-se a si mesmo:

– Este objetivo está alinhado com os meus valores?

Se a resposta for “não”, está na hora de refletir sobre o que é verdadeiramente importante para si.

As maiores conquistas acontecem fora da sua zona de conforto.

Hoje em dia, a segurança é arriscada e arriscar é a nova segurança.

É impossível estagnar. Quando não está a andar para a frente é porque está a andar para trás.

Algumas pessoas pensam da seguinte maneira:

“Quem tem mais dinheiro do que eu é ganancioso, quem tem menos é pobre”.

“Quem é mais inteligente do que eu é um génio, quem é menos é burro”.

“Quem se esforça mais do que eu é obcecado, quem se esforça menos é preguiçoso”.

O fracasso não é fim.

Quando tenta alcançar um objetivo e “fracassa”, apenas tem de marcar uma nova data para o realizar.

Não esquecendo que da próxima vez que tentar, terá mais experiência para percorrer o caminho.

As suas rotinas diárias definem o seu futuro.

Só os resultados rápidos dependem da sorte.

A longo prazo, tudo é possível quando realiza ações concretas, dia após dia, com uma intenção em mente.

Embora pareça estranho alguém ter medo do sucesso, existem pessoas que sabotam os seus objetivos por esse motivo.

Inconscientemente, têm medo da pessoa que se vão tornar e que os outros deixem de gostar delas.

No fundo, sabem que é impossível ter sucesso sem deixarem algumas pessoas chateadas à sua volta.

Se quer alcançar as suas metas, decida em primeiro lugar que quer ter sucesso, mais do que o teme.

Tem um sonho?

Do que é que está à espera?

Que outras pessoas o aprovem?

Que a conjuntura económica melhor?

De mais tempo disponível?

Se respondeu que sim a alguma destas perguntas tem duas hipóteses:

1 – Meter mãos à obra com os recursos que tem neste momento e dar o seu melhor.

2 – Esperar sentado.

Um dos maiores segredos da produtividade consiste em reduzir a quantidade de tarefas ao máximo de forma a realizar poucas, ou mesmo uma única, mas com tal desempenho que tudo o resto se torna fácil ou desnecessário.

Interpretamos a realidade através dos nossos filtros e frequentemente, não nos lembramos que as nossas limitações são criadas por nós.

Por vezes, vale a pena parar o que estamos a fazer e pensar:

– Se fosse impossível falhar, o que é que eu faria?

Quando começa a ter sucesso, fruto do seu trabalho árduo, encontra sempre algumas pessoas que ficam ofendidas pelo simples facto de se estar a sair bem.

Quando lhe disserem que não pode ultrapassar um obstáculo, recuperar de uma má decisão, ou avançar mais a partir do ponto onde se encontra, lembre-se de que essas são apenas crenças limitantes.

Mas acima de tudo, lembre-se de que essas crenças são de quem as expressa e não suas!

Tem medo da crítica? Faça o seguinte:

– Não tenha opiniões.
– Concorde sempre com tudo o que lhe disserem.
– Não tenha objetivos de vida.
– Não se atreva a esforçar-se para realizar seja o que for.
– Dê sempre razão a toda a gente.
– Peça sempre desculpa em qualquer situação onde cause o mínimo de desconforto a alguém, independentemente do motivo.

Ou então:

– Lute pelo aquilo em que acredita, mesmo que outras pessoas não acreditem em si.
– Seja quem quer ser, mesmo que tenha de deixar para trás alguns “amigos”.
– Vá atrás dos seus sonhos, mesmo que algumas pessoas fiquem ofendidas com isso.
– Viva a vida à sua maneira, não à maneira dos outros.