Como parar de duvidar de si mesmo e meter mãos à obra

É quase certo que já teve uma ideia na sua mente, acerca de como gostaria que fosse a sua vida.

Descartando aquelas hipóteses totalmente aleatórias e extremamente improváveis, como ganhar a lotaria e não fazer mais nada até ao resto dos seus dias, todas as pessoas já imaginaram uma vida desenhada à sua maneira como resultado das suas ações.

Resumindo, uma vida gratificante conseguida por mérito próprio, devido aos objetivos que realizaram. Algumas pessoas chegam mesmo a meter mãos à obra e a ir atrás dos seus sonhos, e quer tenha exemplos disso à sua volta quer não tenha, saiba o seguinte:

Existem pessoas que realizam os seus sonhos unicamente pelo facto de se terem esforçado. 

Por toda a parte, existe a ideia um pouco generalizada de que o sucesso, qualquer que seja o significado que lhe atribua, só é possível de atingir quando as circunstâncias são favoráveis.

Esta crença leva-nos a pôr em causa as nossas capacidades, duvidando de nós mesmos nos momentos em que mais precisamos de fazer algo pelas nossas vidas.

A vida nunca foi tão fácil como é hoje em dia. Observe as maravilhas da tecnologia que existem para simplificar tudo à nossa volta, desde os meios de transporte até as evoluções na medicina, em que se curam doenças que outrora eram consideradas impossíveis de curar.

Como é possível que num mundo tão evoluído como o nosso, as pessoas duvidem tanto das suas habilidades?

Todas as invenções que existem, independentemente das dificuldades que tiveram de ser ultrapassadas na sua conceção, têm uma coisa em comum, que é terem sido inventadas pelo homem.

Os feitos mais incríveis que possa imaginar foram realizados por pessoas iguais a mim e a você.

Pode pensar que nada tem a ver com o gênero de pessoas que faz as coisas acontecerem, que não tem atitude e que nunca vai conseguir desenvolver as habilidades que precisa para alcançar as suas metas, não chegando desta forma sequer a tentar.

Já deve ter ouvido alguém dizer-lhe que você é e age de uma determinada maneira e como tal, será assim para o resto da vida. Eu também já o ouvi e gostaria de o informar do seguinte:

Essa é uma das maiores mentiras que alguma vez nos foram contadas.

Ninguém o pode avaliar verdadeiramente nem ninguém pode tomar decisões por si. Só você tem o poder de mudar as suas ações, a sua atitude e as suas crenças ou de as manter. O passado existiu e se não está satisfeito com a sua história, não precisa de a repetir.

Somos nós que escolhemos se queremos que o passado defina a nossa vida no presente, ou se queremos usá-lo como experiência para nos aperfeiçoar para um futuro mais recompensador.

O presente é o espaço temporal onde tudo é executado. Se não fez alguma coisa no passado, nada o impede de a fazer agora. A opinião das pessoas só o pode incomodar até onde permitir, e aquela voz na cabeça que lhe diz que não é capaz não é verdadeiramente sua.

A dúvida acerca de si mesmo pode surgir em qualquer altura, mesmo que já tenha atingido muitas metas e/ou que seja habitualmente alguém com uma grande autoconfiança.

Independentemente da intensidade da sua dúvida, existem estratégias que o podem ajudar a acabar com as inseguranças.

Abaixo estão as minhas preferidas e as que uso sempre que a incerteza começa a dar os seus primeiros sinais de vida:

– Aceitar que o fracasso não tem nada de mal.

Crescemos a ouvir que o fracasso é algo a ser evitado, quando a verdade é que todo o fracasso traz consigo uma aprendizagem. 

Se tem medo das consequências, repare que a maior parte das coisas acerca das quais tem medo de fracassar têm sempre várias soluções possíveis. O fracasso nunca é definitivo.

É ainda importante que abandone a ideia de que o mundo todo tem os olhos postos em si, as pessoas costumam estar mais preocupadas consigo próprias do que com os outros. Se tentar e falhar, o mais provável é que ninguém se rale com isso.

– Pequenas ações diárias levam a grandes resultados com o tempo.

Se tiver os seus objetivos bem definidos e todos os dias realizar pequenas ações para os concretizar, o efeito destas poderá expandir-se incrivelmente a longo prazo.

As ações podem ser realmente pequenas, no entanto têm de ser feitas diariamente não importa o que aconteça! Coloque-as na sua agenda, pois se não forem programadas com antecedência não serão realizadas.

– Efeito borboleta, uma pequena mudança pode causar um grande impacto noutras áreas.

Para além do efeito acumulado que as pequenas ações costumam ter, existe ainda o impacto que estas têm noutras áreas da sua vida. O efeito acumulado das ações a longo prazo não terá apenas influência num domínio.

Quando ocorre uma grande mudança num determinada campo, existe sempre o efeito de alavancagem que faz com que as outras áreas da sua vida também melhorem substancialmente.

– Deixe de ver as notícias.

Seja na televisão ou no jornal, o negativismo vende. Um telejornal com boas notícias não seria visto por ninguém.

Infelizmente, o drama é o tema de conversa favorito das pessoas que assistem religiosamente às notícias. Esse negativismo vai sempre contribuir para aumentar a dúvida acerca de si mesmo.

Caso aconteça alguma coisa com impacto à escala mundial, não se preocupe porque não precisará de ver as noticias para o saber. 

– Deixe-se frustrar.

Quanto tempo mais quer permanecer aí onde está? A insegurança tem-lhe trazido algo de benéfico? Claro que não. Sinta bem essa frustração e use-a como combustível para meter mãos à obra de uma vez por todas.

Nunca estaremos totalmente livres de duvidar de nós próprios. Se gostou das estratégias que lhe mostrei, guarde o link deste artigo para relê-lo quando precisar de acabar com a insegurança.

Deixar de duvidar de si mesmo e meter mãos à obra, vai dar-lhe o maior poder que poderá alguma vez ter.

O poder de criar a sua própria vida.

Pergunta: O que já fez para deixar de duvidar de si mesmo?

2 comentários em “Como parar de duvidar de si mesmo e meter mãos à obra”

Deixe um comentário