O mito da preparação

Admito que não estou minimamente preparado para escrever este artigo. Depois do sucesso do último longo e trabalhado texto que publiquei. Tenho a sensação de que tudo o que vou escrever agora vai ser completamente desinteressante.

“As 10 lições de vida que aprendi como blogger”, demorou sensivelmente o dobro do tempo a ser criado do que aquele que costumo demorar a escrever um artigo. Tem também o dobro do tamanho habitual.

O mito da preparação, curiosamente, é um tema que está à espera há já algum tempo na minha lista de ideias para artigos. E que melhor altura para escrever sobre o mesmo, senão aquela em que me encontro?

Acabei mesmo agora de reler o meu artigo sobre o bloqueio de escritor, no qual escrevi a seguinte frase:

“Quando não se sente inspirado, não há problema. A inspiração surge depois de começar a escrever e não antes.”

Ao reler esta frase, apercebo-me que esta tem muito a ver com o mito da preparação, e que pode ser aplicada a muitas outras áreas para além da escrita.

Este assunto situa-se no contexto em que ficamos à espera de nos sentirmos preparados, antes de começarmos a trabalhar para realizarmos os nossos planos.

Quando nos sentimos preparados, sentimos uma segurança em nós próprios e ao delinear um novo objetivo, queremos sentir essa segurança antes de avançar.

O único senão, é que a segurança vem depois da prática e não antes. Por exemplo, à medida que estou a avançar na criação deste texto, a minha confiança está a aumentar. Sinto-me cada vez mais seguro e preparado para falar acerca deste assunto.

A ansiedade.

A ansiedade é o motivo pelo qual ficamos à espera de nos sentirmos preparados antes de começar. Ironicamente, quando mais esperamos, maior a ansiedade.

Esperar faz-nos sentir ansiosos. Agir dá-nos confiança.

Se está paralisado pelo medo de ainda não estar preparado para avançar, uma forma de sair desse marasmo é agir aceitando a possibilidade de que aquilo que quer fazer pode correr mal.

O fracasso é sempre uma hipótese, quer se sinta preparado antes de começar alguma coisa ou não.

E esta última frase que acabei de escrever faz me ter a seguinte revelação:

O fracasso, por vezes, é a única preparação possível.

Mesmo que o tipo de empreendimento que quer realizar tenha características que façam com que um pequeno fracasso tenha consequências, este ensinar-lhe-á mais do que qualquer outra coisa.

Existem pessoas que aguardam a vida toda para se sentirem preparadas antes de se lançarem na concretização das suas metas. A sensação de segurança pela qual aguardam nunca chega e esta uma das razões pelas quais muitas pessoas deixam os seus sonhos morrerem…

Se está aterrorizado, dê pequenos passos. Mesmo que faça pouco, se fizer com frequência, pelo menos estará a escolher um caminho em vez de apenas reagir ao que se passa à sua volta usando a sua energia e o seu tempo para satisfazer as demandas de outras pessoas.

Nada é 100% verdadeiro em todas as circunstâncias, e não posso deixar de fazer o reparo de que alguns objetivos exigem de facto uma certa preparação.

Use o seu discernimento fazendo-se a si mesmo a seguinte pergunta:

– Se eu começar a fazer o que quero hoje mesmo em vez de esperar até me sentir preparado, qual o pior que pode acontecer? –

Pergunta: O que faz para vencer a inércia quando não se sente preparado para avançar?

Deixe um comentário