5 motivos para não ler este blog

A internet trouxe consigo possibilidades incríveis para a cultura e a aprendizagem. O simples facto de podermos trocar experiências com outras pessoas do outro lado do planeta, abre os nossos horizontes quase como se viajássemos fisicamente pelo mundo.

Quando consulto os dados das ferramentas de análise deste site, vejo que está a ser acessado por pessoas que se encontram em países tão distantes como Estados Unidos, Canadá, Rússia, Bolívia, Angola, Alemanha, Suíça, França e curiosamente Iémen, apesar da maioria do tráfego continuar a vir de Portugal e do Brasil.

É possível que ler este blog não seja o mais indicado para si. Se insiste em passar aqui de vez em porque gosta da temática do desenvolvimento pessoal, ou simplesmente pelo prazer da leitura, vai gostar de ler sobre os motivos que selecionei para não o fazer (o que fará provavelmente o efeito inverso…).

Não é necessário consultar nenhum estudo para perceber que existem cada vez menos pessoas a ler.

Com as novas tecnologias o mundo está mais distraído do que nunca, havendo sempre alguma coisa nos nossos smartphones que nos pode estimular rapidamente.

Como se isso não bastasse, muitas pessoas escolhem ignorar os benefícios da leitura e comparam o ato de ler com o de ver um filme.

O outro dia ouvi alguém justificar-se a dizer:

– É que prefiro ver vídeos engraçados no Youtube do que ler um livro.

Pelo que respondi:

– Isso é a mesma coisa do que dizeres que preferes comer um bolo de chocolate do que ir ao ginásio.

Penso que o meu interlocutor não entendeu a referência. Se for também o seu caso, vou explicar isto da maneira mais fácil que conseguir.

Ler torna-nos mais inteligentes. Ver vídeos engraçados no Youtube faz precisamente o oposto.

Eu também gosto de entretenimento e de ver vídeos parvos. Só não quero transformar-me numa daquelas pessoas que pede ao amigo para filmar enquanto se atira de cima do telhado da sua casa com um fato do pikachu, para depois ficar surpreendido ao acordar no hospital com ambas as pernas e os braços engessados.

Os benefícios da leitura são quase inumeráveis. No Medical News Today, são abordados diversos estudos acerca dos seus benefícios. Como o aumento da esperança média de vida, o desenvolvimento da empatia e o aumento da conexão entre as células cerebrais.

Mas será que ler traz apenas vantagens? Após raciocinar sobre o assunto, pensei em tudo aquilo que pode estar a negligenciar na sua vida de cada que investe, desculpe, quero dizer, que perde tempo a ler.

Para que possa avaliar por si mesmo, estes são os 5 motivos de que me lembrei para não ler este blog:

1. Vai perder posts nas redes sociais.

Imagine que acorda de manhã, e que em vez de visitar de imediato as suas redes sociais, decide ler um artigo neste site sobre como desenvolver autodisciplina ou como parar de se autossabotar.

Mais tarde, quando for ver os seus feeds, descobre que perdeu o momento exato em que a sua amiga publicou a estupenda fotografia de duas torradas num prato com a frase “Bom dia gente linda” …

Quem é que consegue viver depois disso?

2. Ler torna-o mais inteligente, o que pode fazer outras pessoas sentirem-se burras.

Quer criar inimigos? Aposto que não. Ler aumenta a sua cultura, torna-o num melhor conversador, assim como aumenta a sua capacidade de pensamento crítico.

Por isso não seja egoísta e pense em todas as pessoas que dividem o seu tempo livre entre jogos no telemóvel e ver televisão.

Quando estiverem na sua presença, poderão desenvolver complexos de inferioridade, e que melhor forma de criar desavenças do que inferiorizar outras pessoas com o seu desenvolvimento pessoal?

3. Alguns conceitos podem deixá-lo chateado.

Quando descobrimos novos conceitos, até que estes se transformem em crenças nos nossos subconscientes, é frequente ficarmos chateados, frustrados e entrarmos em negação. Ainda que esses conceitos sejam vantajosos para as nossas vidas.

Como por exemplo, saber que a Fidelity Investments realizou um estudo onde concluiu que 86% dos milionários começaram do zero, e apenas 14% herdaram as suas fortunas.

Se passou a maior parte da sua vida a jogar videojogos porque o seu grupo de amigos lhe passou a crença de que só se enriquece através de heranças, pode neste momento ter ficado com vontade de os colocar a todos lado a lado, para mandar um bom par de estalos a cada um.

4. Pode dar-lhe na cabeça de tentar resolver alguns dos seus problemas.

Se tem (sobre)vivido até agora, apesar de ter várias áreas da sua vida totalmente negligenciadas, porquê inventar?

Resolver problemas requer energia (apesar de que os manter requer ainda mais, mas vamos fingir que não leu isto).

Os passos que terá de dar para conseguir resolver problemas estão fora da sua zona de conforto (na qual sente desconforto de qualquer das maneiras, mas finja que não leu isto também) e sair da zona de conforto é sempre desagradável.         

5. Os seus amigos podem não conseguir acompanhar os seus temas de conversa.

Os jantares de amigos podem deixar de ser aquilo a que está habituado. Temas de conversa como o sentido da vidao conceito da morte ou a motivação pessoal podem arruinar inteiramente aqueles momentos em que alguém discute as possibilidades de o Benfica vir a ser campeão.

E a culpa será sua.

Gostou deste artigo? Deixe-me saber a sua opinião comentando.

Deixe um comentário