O medo de não ser bom o suficiente

Existem algumas coisas que embora não sejam visíveis à superfície, são comuns a quase todo o mundo. O medo de não ser bom o suficiente é sem dúvida uma delas.

Quando pensa naquelas pessoas que são consideradas excecionais naquilo que fazem, tanto as que são humildes como as que agem de maneira arrogante, pode não lhe passar pela cabeça que têm esse tipo de pensamentos.

Quando comecei a realizar sessões de coaching individuais, logo a seguir à minha primeira certificação, estive durante um ano inteiro a fazer coaching gratuitamente com todas as pessoas que estavam dispostas a serem acompanhadas por mim, num processo com a duração de três meses.

Nesse primeiro ano, trabalhei com todo o tipo de pessoas.

Desde desempregados, a multimilionários, passando por CEO´s de startups, artistas, arquitetos, escritores, empregados de caixa de supermercados, empreendedores bem e mal sucedidos, empregados de balcão e executivos de topo.

Realizei sessões com pessoas que estavam a dar os primeiros passos em direção aos seus sonhos, e com outras que já tinham conquistado metas absolutamente incríveis.

Independentemente da pessoa sentada à minha frente, há uma pergunta que sempre fiz em todas as sessões:

O que é que o pode impedir de realizar o seu objetivo?

E a resposta foi quase sempre:

– Eu!

Quem quer que fosse o meu cliente, um dos medos mais comuns deste era o de não ter as capacidades, a autodisciplina, o conhecimento e as aptidões de que precisava para realizar um objetivo.

Todos nós temos de lidar com esse medo. No meu caso em concreto, sei que tenho muitos leitores mais inteligentes, mais bem formados, e mais bem sucedidos do que eu.

O que por vezes me leva a pensar se consigo escrever com qualidade suficiente para conseguir manter uma audiência, mesmo tendo dados concretos que me indicam que o trafego deste site aumenta de dia para dia (Google Analytics).

Acredito que cada um de nós tem um dom, alguma coisa na qual pode atingir um patamar muito mais alto do que a maioria, se dedicar as horas de prática e de trabalho necessárias para tal.

Normalmente, esse dom está relacionado com alguma coisa que gosta de fazer, algo no qual pode trabalhar durante horas e horas, sem pausas e no final sente-se melhor do que quando começou! Pode saber o que é no seu caso ou não ter descoberto ainda.

As alturas em que o seu medo de não ser bom o suficiente está mais presente, são sempre as alturas em que se dá um determinado cenário:

Você não está a fazer nada.

Quando passa os seus dias num estado de passividade e não faz rigorosamente nada para realizar alguma das suas aspirações, seja uma meta pequena ou um objetivo de longo prazo, cria-se um espaço dentro da sua cabeça que vai ser ocupado pelo medo.

Nas alturas em que procrastina o tempo todo, as dúvidas acerca de si mesmo vão estar bem latentes no seu pensamento.

A solução?

Meter mãos à obra.

Se estiver a fazer alguma coisa para melhorar a qualidade da sua vida, a dúvida começa a desvanecer-se e passa para segundo plano. O medo de não sermos bons o suficiente nunca vai desaparecer. No entanto, podemos torná-lo num sussurro quase inaudível.

Seja mais produtivo na sua vida, para si e à sua maneira. Nem que seja só um bocadinho todos os dias. Desta forma, a cada dia que passar estará mais perto da pessoa que ambiciona ser.

Para finalizar quer deixar-vos com esta citação de Marianne Williamson:

“O nosso maior medo não é o de sermos inadequados, o nosso maior medo é o de sermos poderosos além da medida. É a nossa luz, e não a nossa escuridão que mais nos assusta.

Nós nos perguntamos: – Quem sou eu para ser brilhante, bonito, talentoso e fabuloso?
Na verdade, quem é você para não o ser? “

Pergunta: O que faz para ultrapassar o medo e a dúvida?

Deixe um comentário