As 10 lições de vida que aprendi como blogger

José Lança autor do blog Desbloqueie-se
José Lança

Este é o artigo nº 50 deste blog. Para além destes 50 artigos, foram criados centenas de posts nas redes sociais e dois ebooks. Ao longo dos últimos três anos muita coisa aconteceu.

A principal, é o motivo pelo qual este site está online. Em 2015, comecei a escrever o meu primeiro livro, “Decida Liberte-se e Aja” e em abril de 2016, fiz a minha primeira certificação em coaching. O que levou à criação deste blog e da minha página do Facebook.

Os erros de quem começa do zero.

Nos primeiros dois meses de vida, o nome deste site foi “Nova Vida Coaching” (riam-se à vontade que eu também) as minhas noções de marketing, branding e design eram bastante más e os únicos visitantes do site eram os meus amigos, e só depois de os chatear muito para lerem os meus artigos. 

Artigos esses que hoje em dia foram reescritos na totalidade, se bem que alguns foram mesmo apagados por serem tão maus e sem recuperação possível.

Quando criei este site em 2016, o objetivo era divulgar os serviços de coaching que estava a oferecer. Neste momento, dedico-me exclusivamente à escrita, não vou mencionar aqui porque deixei de fazer sessões de coaching, uma vez que dediquei um artigo inteiro a explicar o motivo.

Nos últimos dois anos, foram diversas as aprendizagens que tive ao criar e desenvolver este blog, apesar de já escrever há muitos mais.

Esta é uma compilação das 10 melhores lições que retirei dessas aprendizagens. As quais podem ser usadas em qualquer processo criativo, e até na vida em geral.

Aqui estão elas sem nenhuma ordem de preferência:

Lição nº 1.

O trabalho é a recompensa.

Sempre que acrescento um novo artigo a este blog, é como se colocasse mais um tijolo numa casa que está a ser construída. Quando acabo de escrever, fico motivado para continuar a produzir mais artigos. O que significa que não estou dependente de recompensas externas para me manter produtivo a longo prazo. O trabalho é a recompensa.

Lição nº 2.

A paciência é um hábito, e um hábito que se desenvolve.

Ter paciência é fundamental. No começo, é praticamente impossível fazer previsões sobre o que traz e o que não traz retorno financeiro. A única coisa que está no meu controlo é a criação de conteúdos, tornando-se imprescindível desenvolver rotinas diárias para não estar constantemente a gerir uma agenda. A paciência é desenvolvida juntamente com os hábitos de trabalho.

Lição nº 3.

Nunca sei o que vai ter êxito.

Nunca sei quais são os artigos que vão ter sucesso e os que não vão. No mês passado, publiquei um artigo chamado Como descobrir a sua galinha dos ovos de ouro, quando acabei de o escrever pensei:

– Uau! Este artigo vai fazer explodir os servidores com tanto tráfego que vai ter!

E o que acabou por acontecer?

Nada…

Foi um dos artigos menos lidos do blog inteiro…

Em contrapartida, no dia 13 deste mês (sexta-feira 13) publiquei um artigo chamado Como é que a sua vida veio aqui parar? Assim que o publiquei fiquei com a certeza absoluta que iria ser um dos piores artigos do blog e…

… estava absolutamente errado.

No dia a seguir à publicação, quando abri o aplicativo de análise do site fiquei boquiaberto com o que vi. Houve um pico de tráfego no site direcionado exclusivamente para este artigo!

A conclusão que tiro é que só sei que nada sei!

Lição nº 4. 

Mais vale fazer o que me dá prazer.

Já que nunca sei quais os temas que vão ter sucesso, mais vale escrever acerca do que me dá prazer. Os artigos deste blog são na sua maioria artigos de opinião, acompanhados por algumas pesquisas.

Escolho os temas dos artigos conforme vou tendo ideias. Ideias essas que nunca aparecem quando estou à frente do computador, mas sim a fazer outras coisas.

Normalmente, tarefas rotineiras como fazer a barba ou arrumar a cozinha. Quando me vem à cabeça uma ideia para um artigo, anoto-a imediatamente porque já sei que passado 5 minutos vou esquecê-la, normalmente essas ideias que surgem na hora dão-me no máximo o título para um artigo ou o conceito base.

Lição nº 5.

Nunca sei o que escrever antes de estar sentado à frente do computador.

No artigo Como lidar com o bloqueio de escritor, referi que a inspiração vem depois de começar a escrever, e não antes.

Pensar no que escrever antes de estar sentado à frente do computador, seria como tentar visualizar o caminho da minha casa na margem sul até Lisboa, com todas as curvas e entroncamentos.

É impossível, no entanto sei que sei o caminho. Basta-me entrar no carro e conduzir sem pensar em nada. Não tenho necessidade de visualizar o caminho todo na minha mente antes de o percorrer.

Com a escrita passa-se exatamente o mesmo. Sendo que ligar o computador e abrir o processador de texto é o equivalente de entrar no carro e rodar a chave na ignição.

Lição nº 6.

O foco numa área é suficiente para lidar com todos os problemas.

Dedico entre 4 a 6 horas diárias a este blog, menos ao domingo. O facto de ter algo que está a ser construído a longo prazo dá-me confiança, assim como me ajuda a não me importar com outros problemas na minha vida.

É como se a criação de alguma coisa fosse a fundação do meu bem-estar. Se por algum motivo perco a minha autodisciplina e fico a procrastinar durante um mês inteiro, começo a sentir-me inútil e os meus piores defeitos vêm ao de cima.

Torna-se muito difícil conviver comigo nessas alturas, uma vez que começo a dar cabo do juízo a qualquer pessoa que me apareça à frente (a minha namorada que o diga).

O que me leva à próxima lição:

Lição nº 7.

Algumas pessoas precisam de um propósito de vida.

Algumas pessoas tornam-se desprezíveis, más e frias quando estão desalinhadas do seu propósito de vida, e não tenho orgulho nenhum em admitir que sou uma delas.

Têm de ter a sensação constante de estar a caminhar para algum lado, não conseguem viver se não tiverem pelo menos um objetivo pelo qual lutar.

Lição nº 8.

A autenticidade atrai audiências.

Há cada vez menos lugar para personalidades fingidas nas indústrias do entretenimento e do desenvolvimento pessoal. O público quer ver pessoas autênticas e que de alguma forma acrescentem valor às suas vidas.

Ser autêntico é não só, ser original, como também mostrar vulnerabilidade. Quando há uma junção destas duas características, há também uma identificação connosco por parte de outras pessoas.

Lição nº 9.

Não existem fórmulas para o sucesso.

Ao contrário do que dizem alguns gurus que nos querem vender os seus programas, não há fórmulas predefinidas para o sucesso. Há, no entanto, lições valiosas que podem ser retiradas de cada um desses programas. Tal como tenho feito ao longo dos anos.

Essas lições diferem de pessoa para pessoa e da fase da vida em que se encontram. O que pode ser uma aprendizagem de valor inestimável para mim, pode não fazer sentido para outra pessoa.

Lição nº 10.

Nós (autores, bloggers e criadores de conteúdos) não somos assim tão importantes.

Quando estava a tentar escolher uma foto minha para acompanhar a publicação deste artigo, pensei bastante se escolhia uma foto com barba ou sem, se usava algum filtro ou colocava a foto original, e se devia de editar a foto primeiro ou não. 

Até que me lembrei:

-Relax man… não és assim tão importante.

A verdade é esta. Nós criadores de conteúdos não somos assim tão importantes, o que é importante é o conteúdo que criamos capaz de acrescentar valor à vida de quem nos segue.

Ainda quando fazia sessões de coaching, fui solicitado diversas vezes para fazer mentoring com aspirantes a coaches que queriam criar os próprios negócios na área.

A maioria tinha o desejo de criar páginas nas redes sociais, assim como vídeos no Youtube como forma de divulgação. Contudo, não o faziam afirmando que tinham medo de aparecer.

O que eu lhes dizia sempre, era que podiam criar os conteúdos que quisessem à vontade, porque no início, eles não iriam aparecer a ninguém.

Estavam com a ideia completamente errada. Ser visto é o mais difícil e o que dá mais trabalho. O problema deles não ia ser aparecer, mas sim sair da obscuridade.

Estas foram as 10 lições de vida mais importantes que aprendi como blogger, deixem-me saber a vossa opinião comentando.

Deixe um comentário