fbpx

Quando as respostas não estão na internet

Este artigo corre o risco de ser o mais irónico que alguma vez escreverei. Não por ser um artigo humorístico, porque não é, mas sim porque é possível ajudar algum leitor a obter alguma resposta.

O que contradiz totalmente o título, uma vez que está na internet. Em todo o caso, já perdi a conta a quantas vezes pensei no quanto sortudas são as pessoas que no mundo inteiro, têm acesso à internet. 

Basta saber um pouco de história para ter o entendimento de que nunca houve uma altura com tantas respostas disponíveis como nos dias de hoje.  

Cada um de nós, tem uma máquina no bolso que oferece milhões de respostas, a todas as perguntas que alguma vez nos conseguiremos lembrar de formular!

Todavia, é possível que muitas dessas respostas apareçam como sugestão por estarem na moda, e não serem aquelas de que realmente necessita.  

Se procura respostas para a sua vida, saiba que nos sítios onde temos a tendência de procurar, estão apenas as respostas que queremos ouvir. Não as que nos serão mais úteis, nem as que causarão um impacto considerável. 

Pensar calmamente vs reagir no momento. 

Quer pense calmamente, quer reaja no momento, vai obter respostas. Por esse motivo, é apropriado fazer as duas coisas. Mas melhor do que fazer as duas coisas, é saber reconhecer o momento certo para fazer cada uma delas. 

Quando consegue acertar o seu jogo interno com o mundo externo, é porque passou por um longo processo de desenvolvimento pessoal. Todas as respostas que procura têm o mesmo objetivo, realização. 

As perguntas genéricas. 

Se quer respostas melhores, tem de fazer perguntas melhores. Algumas delas podem ser bastante genéricas, mas experimente na mesma. Como por exemplo:

Como é que se vê daqui a 5 anos? 

Quais são as suas forças escondidas? 

Se amanhã quando acordasse a sua vida fosse exatamente como gostaria, como é que seria? 

Se acha que desta forma é demasiado fácil e inútil, ou se é como se tentasse provocar a inspiração, experimente esta:  

Se pudesse voltar atrás no tempo, que pergunta se faria a si mesmo? 

A resposta a esta pergunta não terá rigorosamente nada de genérico. A informação que esta pergunta lhe pode dar pode alterar todo o rumo da sua vida, a partir deste preciso momento. 

E seguramente que a resposta não a vai encontrar aqui, neste blog, nem em mais nenhum outro, nem em nada de virtual que esteja hospedado num servidor de internet. 

Quando conseguir responder, não se limite a pensar logicamente e a criar visualizações mentais na sua cabeça. Faça algo de útil com essa resposta. Algo que lhe possa trazer realização a longo prazo, e não apenas gratificação imediata. 

Se não pode responder, ou se a pergunta é irrelevante para si, não tem qualquer problema. Existem perguntas cujas respostas não só não estão na internet, como também não estão em sítio nenhum. 

Às vezes, só encontramos respostas deixando a vida revelar-se, e não procurando em sítios específicos.

Outras vezes, obtemos melhores respostas quando nos esquecemos das perguntas iniciais que nos prendiam, abrindo assim caminho para que perguntas mais importantes sejam feitas.

Por esse motivo pergunto-lhe: Qual a pergunta mais importante que se pode fazer a si mesmo? 

8 comentários em “Quando as respostas não estão na internet”

  1. A pergunta mais importante que posso fazer a mim mesma é: ” Sou feliz?” Essa pergunta é a chave que abre a porta para todas as ações/actitudes que eu possa vir a ter posteriormente.

  2. seus textos são bem reflexivos e muito bem escritos!
    hoje em dia procuramos resposta de tudo na internet, por ”ser mais fácil” e acabamos nao nos dando conta de que o dá certo pra um, pode nao dar para nos.
    acabamos fazendo coisas sem pensar, e indo atras de ideias diversas sem muito nexo

  3. Olá José! Tudo bem?

    Gosto do seu conteúdo, sempre provocando reflexões em relação aos temas da modernidade, obrigado por compartilhar seus pensamentos!

    A história que estamos escrevendo nos dias atuais, realmente apresenta elementos nunca vistos antes, tanto que nem temos certeza dos impactos que a tecnologia vai causar em nosso futuro!
    Há decadas estamos mudando nossa forma de pensar, a informação é muito mais rápida hoje, mas transformá-la em conhecimento é muito mais difícil, pois tendemos ser mais superficiais quanto ao consumo de conteúdo.

    A filosofia diz que a pergunta (falo dos questionamentos filosóficos) é mais importante que a resposta! Por isso, penso que temos que furar as bolhas da internet, que mostram somente aquilo que
    queremos ver, para buscarmos opiniões diferentes da nossa, confrontá-las, para que a nossa ideia e a ideia do outro evolua. Não acredito em respostas boleanas (sim ou não, 0 ou 1, branco ou preto) a vida é mais complexa que isso. só temos que sair da caverna!

    Tese » Antítese » Sintese

    Gratidão pelo seu texto! Um abraço! 🙂

    • De nada, obrigado eu por comentar. O futuro é realmente incerto, e como disseste transformar informação em conhecimento é muito mais difícil. Penso que tal também se deve ao facto de estarmos habituados a ter privilégios sem muito esforço, pelo menos para nós que vivemos em países desenvolvidos. Acredito que com toda a informação que temos disponível na ponta dos nossos dedos podemos nos tornar quem quisermos, só precisamos da autodisciplina para executarmos todos os dias. Abraço!

  4. Pra mim, uma das perguntas mais difíceis de responder é quem sou eu. Talvez seja por eu ser jovem, no futuro quem sabe fique mais fácil.
    Tenho gostado muito dos seus textos, parabéns!

  5. Nesses dias estava no facebook e eu vi uma tirinha exatamente assim, nem todas as respostas estão na internet. Agora, com toda essa tecnologia que temos, é muito mais fácil abrir o google no celular mesmo quando temos um problema para buscar a solução. Mas nem sempre a solução está na internet, ou em alguma pessoa, mas em si mesmo.

Deixe um comentário